terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Um dia de cada vez

Estava com saudades de escrever por aqui. Estava sem roteador, agora tudo normal.

Estou em casa desde quinta-feira (23/02), cheguei um pouco depois das 18h em casa, foram exatamente 27 dias internada no HCPA, tempo que passou rápido, por incrível que pareça, quando internei a previsão era de 30 a 40 dias internada.

A sensação de sair do hospital, de estar na minha casa não existe igual, estava eufórica pra chegar, fazer coisas simples.

Indo pra casa - 23/02/2012
Sair com meu pai, ver a rua ainda em Porto Alegre, entrar no carro, pegar o caminho de casa, saber que logo chegaria, chegar nos fundos da minha casa, entrar, ver minhas coisas que estou acostumada, andar pela casa, fazer uma comidinha com meu tempero, por mais simples, foi tudo SIMPLESMENTE MARAVILHOSO. Estou curtindo cada minuto, continuo com meu crochê, escutei alguns dos meus cds, assisti um DVD da Marisa Monte que fazia tempo que não olhava, recebi amigos e família. Enfim, estou fazendo coisas normais, banho normal, "xixi" normal... rsrrsrsrs

Muitos me perguntam: "Ta, mas e agora, como é?"

Vou tentar explicar um pouco. Sou uma pessoa que no meu tratamento não me apego muito a detalhes, não sei os números que devo ter ao certo de plaquetas, de leucócitos, e outras coisas mais. Gosto de saber que reações posso ter, se as coisas estão dentro do normal, que cuidados devo ter e o que devo fazer para minha recuperação, os detalhes deixo para os médicos, eles entendem melhor que eu, CONFIO neles e então sigo as orientações.

A medula pegou no dia +8, a previsão era lá pelo dia +15, muito rápido. Já tive a DECH, comecei o tratamento no hospital e sigo tratando em casa, o tratamento deve durar em torno de 1mês e meio a 2 meses. Sigo tomando vários remédios em casa (fornecidos pelo SUS, graças a Deus, senão seria uma fortuna), pra evitar rejeição, pra evitar infecção, fungos e o que mais possa dar, e outro para evitar o efeito que algum remédio possa causar... Remédios todinhos organizados devidamente em saquinhos em uma necessaire (estão pensando o que? sou organizadinha... hehehhehe). Alguns pensam: "Nossa tudo isso?" Sim, acabei de fazer um transplante.

Tenho cuidados com a alimentação, principalmente no preparo dos alimentos, o local que fico deve estar sempre bem limpinho, pó nem pensar, aqueles cuidados que acredito já ter mencionado antes, visitas tem que estar sadias, aos poucos, não posso aglomerado de pessoas Me sinto um pouco cansada para fazer as coisas, tenho que respeitar os limites do meu corpo, tudo é novo no meu corpo, sou praticamente um bebê... Que meiga!

Posso sair de casa, claro evitar lugares lotados (óbvio que a rueira aqui já deu voltinhas pela rua), dependendo onde vou tenho que usar máscara, estou de licença do trabalho. A princípio, tenho que ir toda semana no hospital, fazer exames, ver médico, com o tempo e como vou reagindo as idas vão se espaçando.

Esses cuidados se estendem praticamente ao primeiro ano após o transplante (tempo aproximado em que leva para que não exista mais nenhuma célula minha no meu corpo, somente as células doadas, isso tem um nome, mas não sei qual é... rsrsrsr). Conforme o tempo vai passando as liberações vão acontecendo, e pela minha experiência nesses anos de tratamento passa rápido e normalmente minha recuperação é tranquila e mais rápida que a previsão. Quando fiz o transplante autólogo a previsão era que eu só voltasse a trabalhar depois de 6 meses do transplante, mas em 3 meses eu já estava trabalhando, claro que com alguns cuidados, mas ocorreu na metade do tempo previsto.

Bom espero ter esclarecido algumas dúvidas, se não deixei todos mais confusos...

O mais importante de tudo é que estou me sentindo BEM, FELIZ, PACIENTE, CONFIANTE e APROVEITANDO UM DIA DE CADA VEZ.

Beijos

Meu crochê e Dvd sobre minha cama



Nenhum comentário:

Postar um comentário