domingo, 11 de março de 2012

Nem tudo são flores...

Quinta acordei, tomei meu café como de costume e estava me organizando pra ir no centro, mas estava me sentindo cansada, pensei que era porque tinha perdido o sono à noite, resolvi deitar um pouco, comecei a sentir um frio inexplicável, coloquei o termômetro e minha temperatura estava 37,5º (não chega a ser febre, apenas um pico), mas o frio não passava em 10 minutos coloquei o termômetro novamente e a temperatura estava 38º (agora FEBRE). Na hora, liguei para o hospital dia, falei com a médica que perguntou se teria como ir pra lá, disse que daria um jeito. Então pensei "E agora que faço?", meu pai estava na praia até ele chegar, todos estão trabalhando, não poderia ir sozinha, pensei azar vou ligar pro Leo e ver se ele consegue sair do trabalho. Nesse momento da um sentimento de impotência, na maioria das vezes ia ao hospital sozinha, mas agora não da, é cansativo e com febre então. Um sentimento de estar incomodando as pessoas, tirando ela das suas coisas que são importantes, sei que é bobagem minha, que não é por besteira que faria isso, mas na hora foi o que senti, mas ainda bem que esse sentimento passa. Essa "impotência" é temporária e também não é o fim do mundo tirar alguém do trabalho por um motivo sério.

Mas de repente deu um estalo e lembrei o Douglas (meu primo) está em casa, não está trabalhando, dirige e mora bem pertinho da minha casa, liguei pra ele, que prontamente veio pra levar ao hospital.

Já no hospital a médica ficou admirada com a rapidez que chegamos. Me examinaram, pulmão tudo ok, nenhuma secreção, nem tosse, nem diarreia, nem nada que explicasse a febre, fiz raio x do tórax e da face e um exame chatinho para coletar secreção do nariz para ver se existia alguém vírus, a médica me receitou um antibiótico que comecei a tomar no mesmo dia. No dia seguinte (sexta) fui novamente ao hospital, tinha outros exames já marcados, que deram todos bons e soube que os todos da quinta também deram bons. A febre não tive mais, estou tomando o antibiótico, não sabemos de onde veio, mas como não deu mais, nada grave.

Sexta fiquei bastante tempo no hospital, fui cedinho, às 8h, e quando cheguei em casa já eram quase 15h, a médica demorou a conseguir voltar pra me ver, mas no fim deu tudo certo. Ah a dra pediu que tirasse meu piercing, meus brincos, enfim sem acessórios... 

Acho que por tudo que aconteceu nesses dois dias: a febre, a espera, sexta estava entediada, cansada de estar praticamente só em casa, meio que me lamentando mesmo... rsrsrrsrs... 

Mas apesar de nem tudo ser flores, elas existem e continuam a perfumar e deixar a nossa VIDA mais BELA.

Quinta, antes de eu sair pra ir pro hospital a Mara (diretora da escola onde trabalho) esteve aqui em casa com um buque de flores e um cartão (no fim do post) do pessoal da escola pelo dia das mulheres , claro que amei o presente e a lembrança. E ao dizer que eu estava indo pro hospital comentei que a sorte era que meu primo estava em casa, e a Mara prontamente disse que sempre que eu estivesse precisando poderia recorrer a elas, que dariam um jeito, pra eu não me acanhar, à noite ligou para saber como eu estava e na sexta de manhã a Sandra (vice-diretora) me mandou uma mensagem dizendo que esperava que eu estivesse bem e que o que eu precisasse era pra pedir e não me acanhar.

Ainda na sexta à noite, conversei com minha prima Mana (Silvana) pelo MSN, contei o que aconteceu, disse que estava entediada, conversamos bastante, várias coisas, e ela me disse que quando algo assim acontecer eu posso ligar pra ela que ela dá um jeito, e ela percebendo como eu estava disse para eu ler o Evangelho Segundo o Espiritismo, que me faria bem, foi o que fiz, antes de dormir fiz minhas orações, li o evangelho e foi muito bom, tive uma ótima noite de sono e em dos sonhos que tive sonhei que minha mãe estava comigo. Me acordei bem melhor no sábado.

Sábado pela manhã, liguei pra Janja e fui na casa dela, contei o acontecido... saio contando tudo... rsrsrrsrsr... e ela me disse que nessas situações eu posso ligar pra ela, que ela da um jeito. 

O Leo também, ao conversar com ele na quinta e dizer que pensei em ligar pra ele na hora, disse que podia ter ligado que ele dava um jeito.

Como podem ver, às vezes precisamos sentir os espinhos para ADMIRAR a BELEZA das flores.

Precisei passar por isso, que faz parte do tratamento, é mais que natural, pra não esquecer o CARINHO de cada uma dessas pessoas.

Beijos


2 comentários:

  1. Mas que "BOBA", é claro que sempre se dá um jeito, e mais tem muita gente querendo estar perto de ti querida que tu nem consegue perceber, te liga, não vai ficar sozinha ai, literalmente "COMPARTILHA" miga. kkkkkkkkkkkkk E conta conosco sempre, a gente dá um jeito!!!
    Cris Pinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei disso, Cris, mas na hora passa tanta coisa na cabeça, mas é coisa que dá e passa... rsrsrrsrs
      Bjs

      Excluir