quinta-feira, 21 de junho de 2012

Últimas notícias


Hoje após praticamente 1 mês consultei com o Dr Gustavo.

Logo que me viu, perguntou como tinha sido essa folguinha de 1 mês e comentou que nunca tinha dado tanto tempo assim entre as consultas para um paciente com o tempo de transplante como o meu, mas que percebia que eu estava bem ao me ver e também porque nesse período não procurei pela equipe.

Olhou os resultados dos exames, o exame de sangue que fiz ontem está ótimo. Estava ansiosa para saber os resultados das tomografias que fiz. Então o Dr me mostrou, ainda existem 2 linfonodos em meu corpo, um deles sem alteração alguma, outro teve um pequeno aumento. Mas o Gustavo disse que não é nada para se preocupar, que é normal, e que o procedimento agora é diminuir até parar a Ciclosporina e o Micofenolato para deixar a medula que foi transplantada agir e atacar esses linfonodos. Daqui a 3 meses devo repetir as tomos e ver como estarão as coisas.


Estou bem tranquila quanto a isso, pois o Gustavo me passou essa tranquilidade, além de afirmar que não devia me preocupar percebi que realmente não estava preocupado, normalmente quando é algo preocupante é possível perceber em seu semblante. Como hoje, quando falei que estava preocupada porque sentia algo em meu seio, vi a preocupação em seu rosto, mas ao examinar percebi novamente que ele tranquilizou-se, me tranquilizando também, disse que o que eu sentia eram glândulas normais e que quando chega perto do período menstrual elas aumentam, nada anormal.

Estou feliz em diminuir a Ciclosporina e o Micofenolato, alguns remédios a menos pra tomar e também já mencionei aqui alguns efeitos colaterais desagradáveis , além disso como são imunossupressores eles fazem com que minha imunidade fique mais baixa, por consequência, ao diminui-los, aumenta a imunidade.

Bom pessoal, essas são as últimas notícias.

Beijos

sábado, 16 de junho de 2012

Día del Padre

"Día del Padre" !?!?!?

Vocês devem estar pensando: Que día del padre? Dia dos pais???? Ela só pode estar doida!

Não, não estou doida. Amanhã, 3º domingo de junho, é o dia dos pais em alguns países (quem quiser saber mais entra nesse link: http://es.wikipedia.org/wiki/D%C3%ADa_del_Padre ), incluindo Equador, país onde mora meu irmão Eduardo, meu doador das "celulas madres"

Aproveito para homenagear meu irmão, pai de dois lindos meninos: Bruno (14) e Lucas(3), meus sobrinhos que tanto amo.

Como já disse outras vezes nunca terei palavras suficientes para agradecer, ou descrever a felicidade que tive ao saber que ele é 100% compatível comigo. Ele sempre diz que não tenho o que agradecer, mas sim tenho uma muita GRATIDÃO e tenho uma grande ADMIRAÇÃO por meu irmão, e essa admiração não veio depois da descoberta que ele seria meu doador, essa admiração vem desde criança.

Sabe aquela coisa de "Meu pai Herói", pois é, eu tinha um sentimento muito parecido "MEU IRMÃO HERÓI", aos poucos fui desmistificando essa coisa de herói ligado a perfeição, percebi que meu Herói tinha alguns defeitos, falhava algumas vezes, afinal ele é HUMANO, mas ele continuou e continua sendo MEU HERÓI.  

Mas vamos lá, a alguns motivos de minha admiração.

Desde pequena meu irmão ajudando em casa, aos 14 anos começou a trabalhar, quando precisou ajudou nos nossos estudos, entre outras coisas; até hoje, sempre que precisamos está pronto a ajudar, e não me refiro só a ajuda financeira, mas principalmente em ajuda afetiva, dando apoio, conversando, escutando,  dando uns puxões de orelha algumas vezes.

Sempre foi muito inteligente, lembro dele desmontando os brinquedos e criando coisas novas, lembro dos "barquinhos" que fazia com uns motorzinhos, dos carrinhos de lomba...

Dos meus irmãos era o que eu menos brigava, talvez até mesmo pela diferença de idade. Uma vez quando eu era pré-adolescente estava incomodando minha mãe na cozinha, ele se irritou e me deu um tapa (bem de leve) na cabeça, fiz um fiasco, fiquei sentida por ele ter me batido, afinal isso não era comum, ele veio me pedir desculpa, fiz um fiasquinho básico, de que não adiantava, que já tinha batido e lembro que ele começou a chorar, dizendo que não queria ter feito aquilo, mas que estava cansado a mãe também e eu ali incomodando ela, acabou agindo no impulso, lembro que nos abraçamos e passou, mas esse dia ficou marcado. Nunca esquecerei do apoio que ele me deu quando a mãe morreu, sendo que ele também havia perdido a mãe, mas estava ali pronto para um abraço, um carinho, para consolar,  pronto para cumprir seu papel de irmão mais velho. Lembro que muitas vezes liguei pra ele para conversar quando já não morava mais aqui em casa,

Em seu trabalho, sempre vi a sua dedicação, a sua entrega, o seu empenho, a sua responsabilidade. Por causa de seu trabalho teve que morar longe, mas nunca deixou de estar presente em minha, em nossas vidas.

Quando acontece alguma coisa importante, sinto a necessidade de dividir com ele. Por exemplo: há 4 anos atrás quando surgiu a desconfiança de eu estar com Linfoma, pensei não devo preocupá-lo, afinal ele está em outro estado, o que poderá fazer, mas não sei o que é, não consigo não contar, não dividir com ele, no mesmo dia liguei para contar para ele, e assim faço até hoje, e não só quando é algo sério, não tão bom, mas também quando faço algo novo, ou quando algo bom acontece, fico louca pra dividir com ele.

Adorava quando morávamos juntos e eu ia pro quarto dele escutar seus cds, fazia isso quando ele não estava em casa também, mas o que eu mais gostava era quando escutávamos as músicas juntos, quando ele me mostrava algo dizendo que achava que eu ia gostar, sempre gostava, e adorava ficar ali na companhia dele, conversando, até hoje ele aparece com algum cd que gravou pra mim porque acha que eu vou gostar.

Adorava "roubar" as camisetas dele e sair por ai com elas. rsrsrsrs

Adorava passear com ele pela rua, coisa que ainda adoro, a primeira vez que fui no cinema, foi o Dudu quem me levou, fomos (ele, o Leo e eu) assistir "Esqueceram de Mim", lembro de quando ele comprou um computador e me ensinou a jogar paciência.

Lembro que algumas vezes ele estourava, ficava irritado, xingava, mas logo aquilo passava e estávamos de bem, ele era atencioso e carinhoso, como que arrependido que ter estourado.

A lembrança que mais tenho dele, do que foi e continua sendo, é a de um irmão carinhoso, atencioso e preocupado com meu futuro e de todos nós aqui de casa, querendo sempre o melhor para nós.

Admiro o AMOR que ele tem pela família, e agora me refiro a sua esposa Mari, e aos seus filhos, Bruno e Lucas. Sei que o que ele faz, faz pensando neles. 

Meu irmão é uma pessoa que se preocupa, que se importa com os outros, e o que tiver ao seu alcance para ajudar ele fará.

Descrevi apenas alguns dos tantos motivos de minha admiração por esse irmão, que pra mim tem algo de Pai também, não diminuindo o papel do meu pai Hélio, que tanto amo.

Talvez tenha ficado um pouco confuso o texto, parecendo que algumas coisas estão sem ligação, mas fui escrevendo o que sentia e sinto...

Bruno e Lucas: aproveitem o pai que vocês possuem, uma pessoa admirável, e nunca tenham dúvida do grande Amor que ele tem por vocês; existirão dias ou até mesmo fases que talvez não o entendam, que não gostem do que ele fale, que talvez ele esteja até errado, que pode ser rude, mas nunca esquecem que tudo o que faz é pensando no bem, no melhor pra vocês. O Lucas hoje ainda não entende o que escrevo, mas quem sabe um dia leia esta postagem... rsrsrrs

iFeliz Día del Padre!

Beijos






quinta-feira, 7 de junho de 2012

4º Mês

Novamente venho aqui para COMEMORAR A VIDA, hoje 4 meses do meu transplante.

Gosto de escrever todo dia 07 aqui, mas confesso que não sei bem o que escrever, penso não tem muitas novidades, nada muito diferente, ai penso bem e sim tem muitas coisas, pequenas coisas, mas muito importantes para mim que aconteceram nesse mês.

Estou bem, coraçãozinho ainda um pouco acelerado, devido a Ciclosporina, mas tem alguns dias que tem baixado um pouco, o que é muito bom. O Dr Gustavo me deu uma ótima notícia na última consulta, dia 23/05, disse que começará a diminuir a Ciclosporina para parar, isso é muito bom pois além do coração acelerado ela causa alguns outros efeitos como tremedeira, pelos crescendo, se fosse só cabelo da cabeça, ótimo... heheheh, mas estou c pelos no rosto, na orelha... me lembro da propaganda da Fanta... hehehehhe... e mais alguns efeitinhos, mas ela é necessária,  é um remédio contra a rejeição, a DECH, como tudo tem seu LADO POSITIVO.

A algumas semanas atrás tive uma infecção na garganta, que levou 2 semanas pra curar, mas agora já estou boa. O Dr disse que é assim mesmo, que algo que pode durar dias, uma semana nas pessoas em geral em mim  pode durar até um mês até que eu fique bem curada. Foi um susto, porque a príncipio existia suspeita de ser um vírus, talvez até gripe A, mas fiz exames e essa hipótese foi descartada. Fiz uma confusãozinha na quantia dos remédios na 1ª semana, tomei a metade do que deveria, quando percebi o engano cheguei a chorar, mas logo passou, afinal com todo tratamento, por mais organizada, não é muito difícil se atrapalhar, mas no fim deu TUDO CERTO. 

Outra notícia boa que o Gustavo me deu na última consulta foi que a próxima consulta seria dia 21/06, ou seja praticamente um mês de "folga", eu estava indo toda semana consultar, então acho na verdade não e uma boa notícia, mas uma ÓTIMA NOTÍCIA.

Como já disse outras vezes precisava começar a me exercitar, sinto no corpo essa necessidade, minha musculatura está fraca, então sinto dores; e como não adianta não me animo a fazer caminhadas, então semana passada comecei a fazer atividades com Personal, tem que ser né, já que não posso frequentar academia, muita gente e além do mais preciso de um acompanhamento bem de perto. E por incrível que pareça, após 2 aulas já começo a sentir menos dores no corpo. 

Bom gente, acho que essas são as últimas notícias, muitas coisas BOAS pra COMEMORAR, sei que são coisas  SIMPLES, mas pra mim cada coisinha que acontece é muito IMPORTANTE, mostra a EVOLUÇÃO do tratamento. 

Claro que tem momentos que não estou tão legal, que me sinto cansada de tudo, de certos cuidados e restrições que tenho e ter que tomar tantos medicamentos, afinal sou HUMANA, mas ai penso que isso está passando, quando penso em reclamar dos remédios, logo tento espantar o pensamento negativo e AGRADEÇO por eu ter todos os remédios para tomar e por eles me ajudarem em minha recuperação.

Esse mês, no dia 1º, fez 4 anos que internei pela primeira vez com a suspeita do linfoma, que se confirmou nos dias seguintes. As vezes me sinto cansada, afinal são 4 ANOS, mas ai penso que se fizer um balanço geral esses 4 anos tem mais coisas POSITIVAS: descobri uma Camila que não sabia que existia, uma FORÇA que não sabia que eu tinha, tenho a cada dia fortalecido a minha FÉ, tive muitos AMIGOS ao meu lado, tive palavras de CARINHO E APOIO de pessoas que mal me conhecem, muitos PENSAMENTOS POSITIVOS, tive a notícia de ter um irmão 100% COMPATÍVEL (isso não tem preço), tive poucas reações a todos tratamentos que já fiz, tantas outras coisas, só tenho que AGRADECER e CELEBRAR.

Agora, para encerrar, algumas fotinhos do último mês. Ah, como verão nas fotos, meu cabelo está crescendo, ainda desparelho, mas está crescendo bem rápido.

Bjs

Eu e Patrick, meu afilhado, no seu aniversário de 7 anos- 27/06/12
Nina, Carmen, Cíntia, Janja, eu e Elisandra
27/06/12


06/07/2012

Aniver da Tati Loira: Eu, Tati Morena, Tati Loira, Bibi e Vivi
04/06/2012

Eu e Davi, hoje 07/06/2012




Eu, Gilian e Davi
07/06/2012
07/06/2012