quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Doe VIDA em VIDA

Vi em um dos blogs que sigo que ontem foi o dia da Doação de Órgãos, não cheguei a ler a postagem.

Mas venho aqui para falar da doação de algo específico, a MEDULA ÓSSEA.

Tenho me perguntado já a algum porque se fala tanto em doações de órgãos, e não se fala sobre a doação de MEDULA ÓSSEA, a gente vê normalmente propagandas, programas de Tv falando sobre a importância de DOAR e deixar avisado aos familiares a intenção da doação de órgãos. Claro, que considero isso muito importante, mas me pergunto porque não se fala quase na doação de MEDULA ÓSSEA??? Pergunta que fica sem resposta.

A DOAÇÃO DA MEDULA ÓSSEA é uma doação diferente da doação de órgãos e quando se fala na doação não se fala dela.

Muitas pessoas tem dúvidas, alguns acham que é um procedimento complicado, com risco de morte para o doador, acham que é uma cirurgia complicada, e muitos nem sabem que essa doação é feita em VIDA. Não adianta esperar a pessoa morrer para doar.

A pessoa que tem a intenção de SALVAR uma VIDA pode fazer isso estando VIVO. E é algo tão simples, depende de um gesto mais simples ainda, ir ao hemocentro mais próximo e cadastrar-se no REDOME, e claro no momento que for encontrado alguém compatível não desistir da DOAÇÃO.

Hoje em dia vejo mais campanhas de doação de MEDULA ÓSSEA, mas as  vejo porque acabei me ligando de uma forma ou outra a pessoas que necessitam dessa doação, ou que conhecem quem necessita, acabei seguindo páginas e sites de campanhas para pessoas com Linfoma, Leucemia e outras doenças em que a medula é a solução para que continuem sua VIDA.

Eu mesma antes de ter o Linfoma e precisar de uma MEDULA nunca tinha me cadastrado como doadora,  a gente normalmente vê pessoas se cadastrando quando são feitas campanhas porque algum conhecido precisa de uma MEDULA, não sei se por comodidade por falta de informação, mas costumamos  ter certos atos quando as coisas acontecem a nossa frente. O que lamento, lamento por mim mesma, por ter sido assim até ver o problema na minha frente. Eu não tive dificuldade em achar uma MEDULA, meu irmão mais velho, como já sabem, foi 100% compatível comigo e fez a DOAÇÃO das "CELULAS MADRES" para mim, não tive que recorrer ao banco, mas poderia não ter tido essa sorte e hoje estar procurando um doador compatível, e quanto mais cadastros mais chances. Hoje vejo muitas pessoas que só esperam encontrar esse alguém compatível, que tem uma VIDA difícil, com limitações por precisarem de uma MEDULA nova.

Ele é apenas um dos muitos que depende de SUA ATITUDE.
http://diariodeumleucemico.blogspot.com.br/

Então gente, não façam como EU, não esperem que esse assunto atinja alguém próximo para se tornar um DOADOR de MEDULA ÓSSEA, pense você pode SALVAR uma VIDA em VIDA, e não importa se é alguém que você conhece ou não. É simples, muito SIMPLES, saiba como:

REDOME – Registro de Doadores Voluntários de Medula ÓsseaPDFImprimirE-mail
O INCA – Instituto Nacional de Câncer – é o responsável pelo REDOME. Criado em 1993, o registro centraliza todas as informações cadastrais de pessoas dispostas a doar medula óssea para pacientes que não possuem doadores na família. Quando um paciente precisa de transplante, este cadastro é consultado. Se encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação.
 
Passo a Passo para se tornar um Doador Voluntário de Medula ÓsseaPDFImprimirE-mail

Ser um doador é muito simples!
Você precisa ter entre 18 e 54 anos, estar em bom estado de saúde e não ter histórico de Câncer, Hepatite e HIV.
1° Passo: Cadastre-se:
Procure na sua cidade um hemocentro ou um hemonúcleo autorizado e cadastre-se. Endereços dos Hemocentros no Brasil

O cadastro consiste no preenchimento de uma ficha de identificação com dados de contato. Também será realizada a coleta de um simples exame de sangue para o teste de compatibilidade (tipagem HLA). Este exame de sangue não consiste na DOAÇÃO da medula óssea, apenas no cadastro de possível doador.
Seus dados e sua tipagem HLA serão cadastrados no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME).
2° Passo: Se você for convocado:
Se aparecer um paciente com a medula compatível com a sua, você será convocado.
Será necessário realizar novos testes sanguíneos para a confirmação da compatibilidade. Se a compatibilidade for confirmada, você será avaliado por um médico e decidirá sobre a doação.

É muito importante o doador manter o REDOME atualizado com os seus dados cadastrais. Caso houver mudança de telefone ou endereço, comunique alteração no hemocentro que você fez o cadastro.

 
Como é feita a doação?PDFImprimirE-mail

Após a confirmação da compatibilidade entre o doador e receptor, o doador poderá decidir sobre a doação. Se a resposta for positiva, é agendada a data do transplante.

O doador passará primeiramente por exames clínicos e laboratoriais, a fim de garantir a segurança do doador e receptor, evitando transmissão de doenças. Esta avaliação considera idade, sexo, doenças crônicas, avaliação das funções hepáticas e renal, tipagem ABO e HLA, sorologia, vacinações recentes, teste de gravidez, radiografia de tórax, eletrocardiograma e avaliação psiquiátrica.

Existem de duas formas de doar a medula óssea:

1.Punções na bacia: realizada com agulha especial e seringa na região da bacia, retira-se uma quantidade de medula óssea equivalente a uma bolsa de sangue. Para que o doador não sinta dor, é necessário tomar anestesia. O procedimento dura em média 90 minutos. A sensação de dor moderada permanece em média por uma semana e é semelhante a dor da injeção de Benzetacil. Não fica cicatriz, apenas a marca de 3 a 5 furos de agulhas. É importante destacar que o procedimento não envolve cirurgia, não há corte, nem pontos.  O doador fica em observação por um dia e pode retornar para sua casa no dia seguinte.

2. Aférese: antes de realizar este procedimento, o doador precisa tomar um medicamento por 5 dias, que estimulará a multiplicação das células-mãe. As células mãe do sangue migram da medula para as veias e são filtradas. O processo de filtração dura em média 4 horas, até que se obtenha o número adequado de células. O medicamento aplicado antes da doação pode causar dores no corpo e fadiga.

O médico irá informar a melhor forma de coleta de células, isso dependerá da doença e da fase em que se encontra, assim o benefício para o paciente será maior. O transplante só será realizado quando o paciente estiver pronto para recebê-lo, essa resolução cabe ao médico que está acompanhando o caso.

O doador por possuir uma medula saudável e se encontrar em bom estado de saúde, reconstituirá o que doou rapidamente, voltando às atividades normais. Em casos especiais e raros, se necessário, o doador pode ser compatível e doar novamente a medula para outra pessoa.

 
O que são células-tronco?PDFImprimirE-mail

As células-tronco são células muito especiais. Elas surgem no ser humano, ainda na fase embrionária, previamente ao nascimento. Após o nascimento, alguns órgãos ainda mantêm dentro de si uma pequena porção de células-tronco, que são responsáveis pela renovação constante desse órgão específico. Essas células têm duas características distintas:

1- elas conseguem se reproduzir, duplicando-se, gerando duas células com iguais características;

2– conseguem diferenciar-se, ou seja, transformar-se em diversas outras células de seus respectivos tecidos e órgãos.

A célula-tronco hematopoética, que no adulto se localiza na medula óssea vermelha é uma célula comprometida com a formação do sangue. Essa é a célula que efetivamente substituímos quando realizamos um transplante de medula óssea.

 
Onde podemos encontrar as células-tronco?PDFImprimirE-mail
Além da célula-tronco hematopoética, pesquisas recentes têm demonstrado a presença de células-tronco específicas, presentes em tecidos como, fígado, tecido adiposo, sistema nervoso central, pele etc. A utilização para fins terapêuticos dessas células também tem sido alvo de vários estudos, ainda em fase experimental.
 

2 comentários:

  1. Camila, amei esse post! Tem a campanha para doação, mas não tem informação nos hospitais.. uma amiga minha que está grávida veio me perguntar sobre doação do sangue do cordão umbilical, ela rodou vários lugares antes de me perguntar e ngm sabia explicar direito, ela tava quase desistindo. Muitas pessoas desistem de doar pelo fato de não saberem como é o procedimento e por falta de quem explique! Aqui no RJ ta tudo errado, no Hemocentro,a maioria do sangue doado vai para os hospitais particulares, onde cobram 500/600 reais por uma bolsa de sangue e nos hospitais públicos ficam em falta, no INCA ta super em falta! Certa vez um amigo em uma palestra no Hemocentro fez a seguinte pergunta: "se doamos o nosso sangue de graça, por que cobram tão caro nos hospitais particulares? E por que nos hospitais públicos sempre falta?" Pularam a pegunta dele e o convidaram a se retirar dali, já tem poucos doadores e os que doam eles ainda cobram caro? Os que não pagam eles deixam morrer? FALTA INFORMAÇÃO E FALTA ALGUÉM COMPETENTE PRA ADMINISTRAR DIREITO O CAOS QUE OS HOSPITAIS DAQUI ESTÃO !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, falta informação e uma administração competente.

      Algo tão importante e que mal se fala, quase ninguém sabe como funciona.

      Parece que nossos políticos e mídia não estão muito interessados em muitos assuntos de saúde.

      Excluir