terça-feira, 11 de setembro de 2012

"Não sois maquinas, homens é o que sois" Chaplin

Começo a postagem de hoje colocando o título, que foi feito em um comentário aqui no blog pela minha prima Mana, acho que ele se encaixa perfeitamente sobre o que vou escrever.

Ao escrever esse post, lembro do meu amigo de blog Fábio, seu blog "Diário de um Leucêmico", das conversas que temos sobre reclamar, cansar, exorcisar nossos sentimentos, ele usa bastante o blog dele para isso e eu ultimamente também tenho feito isso.

Ontem, explodi, chorei, me senti cansada. Pensei em escrever aqui na hora para aliviar, mas não seria o suficiente, precisava de mais, precisa falar pra alguém, precisava chorar, dizer: HOJE EU ESTOU CANSADA!".

Mas porque essa sensação? No domingo comecei a sentir um pouco de coceira, ontem a coceira continuava, caso não lembrem quando comecei com a DECH tive uma coceira infernal. ontem estava um dia chuvoso, pensei em ligar pro médico, mas ao mesmo tempo não queira ir para o hospital, fui para minha aula malhar normalmente, quando cheguei liguei para o Hospital Dia do HCPA, a secretário atendeu, perguntei pelo Dr Gustavo, ela foi falar com ele e retornou dizendo que ele estava, mas não podia falar comigo no momento, normalmente quando ligo se não falo com o médico já adianto para a enfermeira o que está acontecendo, mas dessa vez não tinha como, fiquei me sentindo no ar, sem saber o que fazer, a secretária não sabia nem ao certo quanto tempo deveria retornar para falar com o médico, 10min/ meia hora!? Liguei mais tarde, falei com a enfermeira Angela, expliquei o que tinha acontecido, ela disse que falaria com Gustavo que retornava as 15h e me retornaria, ao pedir meu telefone para retornar, eu mal conseguia falar, comecei a chorar, ela percebendo como estava me perguntou o que era, expliquei que fiquei agoniada porque não consegui nenhuma orientação do Gustavo antes e não sabia o que fazer (essa coceira pode ser sinal que meu fígado, onde estou com a DECH, está pior), ela me tranquilizou, disse que de manhã realmente foi impossível falar comigo, que estava uma loucura o Hospital Dia; sei bem como é, muitas vezes já presenciei essas loucuras, só da tempo de atender os pacientes que estão lá; disse que a tarde retornaria sem falta com instruções do Gustavo. E foi o que aconteceu, um pouco mais de 15h ela me ligou, orientando que eu vá ao hospital dia na quarta (12/09) para fazer os exames e já consultar, o Gustavo quer ver como está meu fígado.

Mas na verdade isso foi só a gota d'água, ando cansada com a função dos corticoides, são muito efeitos colaterais, se a DECH não melhora não diminuo eles, talvez tenha que tomar mais, e talvez tenha que voltar a tomar outro remédio. E o sono, ah o sono! Como ele mexe na vida de uma pessoa, ando bem atordoada com essas alterações que estou tendo, é mais de um mês com sono desregulado, alguns dias dormindo praticamente nada outros um pouco melhor, alguns dias disposta até elétrica, outros cansada. Mexe com todo humor, não tem como não EXPLODIR. 

E como disse lá no início escrever aqui não seria o suficiente, precisa chorar, precisava reclamar e tinha que ser pra alguém que me ouvisse, que me entendesse. Então peguei meu telefone, liguei pra Mana perguntei se estaria em casa a tarde, que queria ir lá, ela viu que não estava bem, disse que chegaria mais tarde um pouco, mas que eu fosse para lá, já acordasse o Pedro (meu primo, seu filho). Foi o que fiz, peguei meu note, uma lata de leite condensado (para fazer arroz de leite), meu livro e fui pra casa dela. Lá me distrai, fazendo o doce, conversando um pouco com o Pedro, dormi na cama dela no meio da tarde, me sinto em casa lá. Quando ela chegou estava dormindo, quando acordei estava mais calma, conversamos, chorei, falei minhas lamentações, ela e o Pedro me ouviram, conversamos. sabemos que isso é mais que natural nesse momento, e que o que eu precisa aquela hora de manhã e naquele momento ali ao chorar realmente era explodir, reclamar, colocar pra fora. E isso me fez um bem muito grande.

Me sinto feliz por me permitir ter esses momentos, de raiva, de reclamação, de não ter que guardá-los. Não acredito nessas frases que vejo por ai do tipo: "sorria mesmo que esteja triste", "pareça forte mesmo que esteja estraçalhado". Não tenho porque aparentar o que não sinto, se estou mal estou mal, se estou bem estou bem, e o fato de estar mal, reclamando, chorando por um momento não significa que essa é a minha condição, como acabei de escrever é o MOMENTO, e nada como por pra fora, e nada como ter essas momentos de fraqueza, de entrega para depois voltar com tudo, renovada.

Permito-me a ter sentimentos diversos, afinal: "NÃO SOIS MÁQUINA, HOMENS É O QUE SOIS" Chaplin

Beijos


16 comentários:

  1. E é isso né prima!
    "Tamu" aí pro que der e vier.Beijo na tua alma!

    ResponderExcluir
  2. É Camila, não é fácil, se não tivéssemos o direito de extravasa de vez em quando, tenho certeza que seria muito mais difícil. É mais ou menos como eu postei uma vez no blog, quando usei o exemplo do copo d'água, se não esvaziarmos às vezes ele transborda...
    Nada do que você escreveu e que vivenciou esses dias te fez menos forte, nem menos corajosa, pelo contrário

    Estou por aqui sempre, precisando é só gritar! :-)

    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Fábio!

      Obrigada pelo apoio, eu tb estou sempre na torcida e mandando boas energias. Precisando tb é só gritar...

      Abração

      Excluir
  3. Tenha fé e energia , acredite!!
    Você pode tudo que quiser.
    Tenha um dia MARAVILHOSO :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laura. obrigada!
      Um dia MARAVILHOSO para vvc tb
      ;)

      Excluir
  4. Camila, um rostinho de princesinha...o choro, a agonia é claro que são normais em uma situação em que você está tão fragilizada e você já encontrou uma resposta que é o desabafo, procurar pessoas queridas que vão ouvi-la e assim, ajuda-la. Sabe Camila, eu acho que o amor é um grande remedio, seja qual for a doença e acredito que você logo estará envolvida por muito tanto real quanto virtual. Fique com meu carinho e meu colo. Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Malu, pelo carinho.
      Também acredito que o amor é um grande remédio, e tenho ceteza que estou envolvida por ele, tanto virtual como pessoalmente.
      Obrigada pelo colo! :-)
      Beijos com carinho

      Excluir
  5. Divulguei seu blog na minha página, tem problema? Nem perguntei, hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem problema nenhum. Pior que eu tb divulguei o seu na minha e nem perguntei, nesse post mesmo, quando falei de vc e coloquei seu blog... hehehehhe

      Excluir
    2. Na verdade divulguei o seu no blog, depois que entendi que divulgou no face, mas não tem problema nenhum. Tranquilidade total. hehehhehe
      Abraço meu amigo de blog

      Excluir
    3. Hahahaha, sem problemas, você pode tudo :-)

      Excluir
    4. :-D
      hehehehehhe
      Blog divulgado no meu perfil do face!

      Excluir
  6. Oi. Vi que vc já fez o transplante. O doador poderia dar um depoimento para as campanhas ? Tipo falando como foi e o que sentiu ao doar, incentivando doadores voluntários. E se pudesse mandar uma foto de vcs também era legal. Faço uma imagem e te passo pra vc aprovar. Me escreve. beijos

    https://www.facebook.com/paulacbfernandes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paula, deixei um recado no seu face, inclusive com links aqui do blog de depoimentos do meu irmão.
      Beijos

      Excluir