quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Obrigada!

Hoje é o dia do médico, e não podia deixar de escrever aqui, de agradecer a essas pessoas que fazem ou fizeram parte de minha Vida.

Sempre digo que tenho muita "sorte" pelos médicos que encontrei em mim Vida, principalmente em momentos tão delicados.

Por mim passaram muitos médicos, afinal estou em tratamento a alguns anos e ainda por cima em um hospital universitário, por onde passam muitos médicos residentes.

Mas existem alguns especiais para mim, começando pelo médico que cuidou de toda nossa família, meus irmãos e alguns parentes com certeza irão lembrar, Dr Geraldo, já falecido, sempre com seu refri na mesa,  brincando, falando umas besteiras pra descontrair, uma grande pessoa, muito humana, sua secretária, era sua esposa, pessoa muito querida, sempre conversando enquanto aguardávamos para ser atendidos.

Do médico da infância, parto para os médicos que passaram por mim quando fui ao posto de saúde porque meu pescoço estava inchado, já por causa do linfoma, mas que eu nem desconfiava. Pois uma médica e um médico (que não recordo os nomes), apesar da breve passagem por minha Vida foram fundamentais; primeiro a Dra, muito atenciosa procurando que eu fizesse os exames o quanto antes, pois desconfiou ser um linfoma, e preocupada que eu ao voltar ao 24h fosse acompanhada, e que disse que se eu voltasse até um certo horário ela mesma me atenderia (o que não é um procedimento padrão), mas ao voltar, devido ao tempo para os exames ficarem pronto, não por falta de vontade, pois a isso tenho que agradecer um outro médico, Dr Jarbas Lucas, que me perguntou o que havia combinado com a médica e prontamente fez o laudo para que eu levasse, mas mesmo assim quando retornei ao posto a Dra não estava mais, só que em seu lugar estava outro médico, só lembro que se chamava André, seu sobrenome era enrolado, ele olhou meus exames, me explicou com paciência e atenção tudo, explicou que para saber se era um linfoma somente fazendo uma biópsia,  e me pediu que fosse para casa, almoçasse tranquilamente e mais tarde voltasse, pois ele iria ver qual o melhor lugar para me encaminhar, voltando ele me encaminhou para o HCPA (Hospital de Clínicas de Porto Alegre), onde me trato até hoje e onde sou muito bem tratada e encontrei médicos especiais.

Difícil falar de médicos tão especiais, todos médicos que passaram por mim tiveram um papel muito importante, mas não adianta, sempre tem aqueles que marcam de uma forma especial. A Dra Laura Fogliato, que me acompanhou desde o início do tratamento, hoje não me acompanha mais, desde o início desse ano, quando fiz o transplante, mas mesmo assim a vejo quando vou no ambulatório, Laura é uma pessoa muito especial para mim, médica que muito admiro, ela tem um jeito direto de falar as coisas, mas sem perder a humanidade, sempre tive um carinho especial por ela, sempre conversávamos muito em minhas consultas, a primeira vez que a doença voltou a forma como ela me falou nunca vou esquecer, não consigo colocar aqui em palavras; enfim... A Dra Cristina, médica residente, sempre querida, prestativa, prática, me deu seu celular, sempre que precisava de alguma coisa recorria a ela, uma pessoa muito humana, na verdade foi ela quem me confirmou a volta da doença a primeira vez, a Dra Laura me falou mas faltavam os exames para confirmarem, quando a Cristina me falou ela tinha a confirmação, eu estava internada, abalada, e ela foi muito atenciosa comigo, foi ela quem deu início ao novo tratamento, por um bom tempo ela me acompanhou, mas como toda residencia um dia acaba... 

Depois vieram a Dra Rosane e Dra Giovana, médica residente, que me acompanharam durante o transplante autólogo, pessoas igualmente especias, cada uma com seu jeito, Dra Rosane sempre muita calma ao falar, sempre muito cuidadosa, Giovana já mais expansiva, brincando, falando alto, mas sempre atenciosa a tudo que eu estava sentindo e ao tratamento...

E hoje, muitas vezes já ouviram eu falar aqui do Dr. Gustavo Fischer, médico que me acompanha desde que fui encaminhada para o transplante alogênico, ele já havia tido uma breve passagem pela minha Vida, em 2010 quando fiz o outro transplante ele me atendeu 2 vezes em seus plantões e inclusive foi ele que me deu alta do transplante, ele não lembra disso, eu disse que devia ser porque estava careca, pois quando me conheceu eu estava com os cabelos mais compridinhos e cacheados... rsrsrrs... O Gustavo é outra pessoa muito especial, tem seu jeito direto de falar as coisas sem perder a humanidade nunca, algumas vezes está mais sério, mas geralmente fala rindo, brincando, sei bem quando algo está preocupando ele no que diz respeito ao meu tratamento, vejo em seu rosto, assim como vejo quando tudo está indo conforme o esperado. Foi ele quem me deu a notícia dessa vez de que a doença voltou, percebi o quanto isso foi difícil para ele. Bom, só tenho a agradecer a forma como sou tratada. 

Acabo falando mais do Gustavo, pois é quem mais me acompanha, mas não poderia deixar de agradecer aqui as Dra Alessandra Paz e Dra Lisandra Della Costa, que fazem parte da equipe que me trato, também pessoas especiais (viram o que eu disse, sobre "sorte", só pessoas especiais) as duas sempre muito atenciosas, Dra Lisandra com seu jeito delicado de falar, sempre muito cuidadosa, Dra Alessandra, uma grande profissional, mais restritiva, mas sempre pensando no melhor para o tratamento.

Enfim, obrigada a todos os médicos que passaram e permanecem em minha Vida.

Li esse cartão e acho que se encaixa perfeitamente.

Beijos

P.S.: Descobri hoje (30/10) arrumando uns papéis o nome dos médicos que me atenderam no Posto 24h em 2008 - Leticia Rigo e Andre Silvio Schier.


Nenhum comentário:

Postar um comentário